Minha empresa cresceu: como manter os tributos em dia?

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on reddit
Share on telegram

O crescimento é sempre bem-vindo e é o objetivo das empresas. Ainda mais quando ele vem sustentado por um bom planejamento.

O fato é que quando se é pequeno as obrigações também são.

À medida que o tamanho do seu negócio vai aumentando, os deveres e encargos acompanham o desenvolvimento daquela que um dia foi uma micro ou pequena empresa.  Mas, afinal, como colocar os tributos em dia?

 

O que fazer?

A primeira providência, caso isso ainda não tenha sido feita, é procurar urgentemente uma consultoria tributária.

Muitos procedimentos são necessários quando uma empresa cresce. Um deles é a migração de regime tributário.

E, para não ficar com pendências que geram multas, é fundamental ter especialistas cuidando de tudo.

Engana-se quem acredita que não é necessário ter uma empresa de contabilidade para comandar essas questões.

Quando os processos são poucos, o empreendedor consegue cuidar de tudo. Porém, ao se avolumarem é comum que surjam confusões e esquecimentos.

Faixas de faturamento bruto anual

Entre R$ 81.000,00 e R$ 97.200,00

Existe uma tolerância para menos ou para mais de cerca de 20%, mas caso o empreendedor individual fature um valor dentro desses limites, ele deverá pagar o DAS mensalmente.

Mais de R$ 97.200,00 até R$ 360.000,00

Neste patamar anual, a empresa deixe de ser MEI, transforma-se em ME (microempresa) e passa a ser enquadrada no Simples Nacional.

Acima de R$ 360.000,00

Para essa faixa, a ME passa a ser uma EPP (empresa de pequeno porte).

Obs.: para optar pelo Simples Nacional, a empresa não pode ter um faturamento superior a R$ 4,8 milhões/ano.

 

Dicas que podem ajudar a manter os tributos em dia

Os impostos sempre vão variar de acordo com o tamanho, regime tributário, atividade, entre outros fatores.

É importante identificar, primeiro, se a empresa se enquadra no Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido.

  • O Simples Nacional, em geral, é o melhor uma vez que o recolhimento é simplificado.
  • No Lucro Real, o cálculo é sobre o que se lucrou durante o ano efetivamente.
  • Já o Lucro Presumido é calculado sobre a previsão. 

Principais tributos

  • IR (Imposto de Renda)
  • PIS (Programa de Integração Social)
  • COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social)
  • IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados)
  • CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) 

O que pode ocasionar um desenquadramento tributário?

Os motivos são muitos, mas os principais são:

Automático

  • Conforme a empresa cresce, ou seja, deixa de ser MEI e passa a ser ME (microempresa) por exemplo.
  •  Ao incluir uma nova atividade econômica que não tem permissão.
  • Quando acontece a abertura de uma filial. 

Opção

  • Por escolha da empresa e a qualquer momento.
  • Passa a ter validade a partir do ano seguinte, em janeiro. 

Um erro pode custar caro para uma empresa

E para escapar de possíveis complicações com o fisco, não deixe para um segundo plano a contratação de uma consultoria tributária: como atualmente o CPF está atrelado ao CNPJ, tudo acaba se misturando e complicando ainda mais.

Quando os problemas se somam, o faturamento começa a ser comprometido. Coloque seus tributos em dia! O investimento vale a pena.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on reddit
Share on telegram

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em Contato